Pesquisar por:

0-9 | A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | k | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

LYME, SOROLOGIA

Material: soro

Sinônimo: Doença de Lyme, Borreliose

Volume: 2,0 mL

Método: Quimioluminescência – CLIA

Volume Lab.: 2,0mL

Rotina: Diária

Resultado: 11 dias

Temperatura: Refrigerado

Coleta: Jejum recomendado, mas não obrigatório.

Código SUS:

Código CBHPM: 4.03.07.47-6

Interpretação:
Uso: diagnóstico de doença de Lyme.
A doença de lyme é uma doença multissistêmica de etiologia infecciosa causada pelo microorganismo Borrelia burgdorferi e é transmitida ao homem e animais pela picada de carrapatos Ixodideos .Foi descoberta nos Estados Unidos da América do Norte há 15 anos e desde então tem sido diagnosticada em vários países. No Brasil,apesar de ser pouco conhecida, já existem suspeitas de que poderá se tornar um sério problema. O cão e os animais silvestres representam o foco natural da doença. A transmissão se dá pela picada de carrapatos, que levam a enfermidade do animal doente para outros animais e o homem.
A doença se manifesta com uma irritação local da picada podendo desenvolver uma lesão de pele (mancha rosada) que vai aumentando com o tempo. Podem aparecer náuseas , dores de cabeça, na nuca, nas juntas e músculos, febre e cansaço. Se não houver tratamento , a doença de Lyme poderá atingir o sistema nervoso, provocando meningite, paralisia facial ( paralisia de Bell) e outros problemas com os nervos cranianos. Fraqueza e ou dor nas mãos,braços, pés e/ou pernas. Distúrbios cardíacos, também, podem aparecer após poucas semanas do EM, como bloqueio atrioventricular, miocardite aguda ou aumento da área cardíaca. Meses após os sintomas inicias, podem surgir edemas articulares, principalmente dos joelhos, que desaparecem e reaparecem durante vários anos. A doença pode ficar latente por longos períodos, após os quais apresenta manifestações neurológicas crônicas tardias, como encefalopatias, polineuropatia ou leucoencefalite. No líquido encefaloraquidiano, encontram-se pleocitose linfocítica e proteínas elevadas.

LITIO

Material: Soro p/ Litio

Sinônimo: Litemia

Volume: 1.0 mL

Método: Imunoenzimático Colorimétrico

Volume Lab.: 1.0 mL

Rotina: Diária

Resultado: 4 dias

Temperatura: Refrigerado

Coleta: Jejum obrigatório. Colher a amostra 12 horas após a ingestão do medicamento ou por indicação médica.

Código SUS: 0202070255

Código CBHPM: 4.03.02.22-9

Interpretação:
Uso: monitoramento dos níveis de lítio em pacientes medicados com carbonato de lítio (monitorização terapêutica do lítio).O Lítio na forma de carbonato de lítio é usado como agente psicoativo no tratamento de doenças depressivas. A terapia de lítio demanda uma monitorização diária dos seus níveis até que a dosagem seja apropriada. Baixos níveis de lítio no soro (quando em tratamento) estão associados a retenção do lítio e altas dosagens com a eliminação.
A toxicidade do lítio ocorre quando os níveis sanguíneos se tornam superiores a 1,5mEq/L, podendo ser grave com níveis superiores a 2,0 mEq/L. Os sintomas de intoxicação por lítio incluem náuseas, vômitos, diarréia, sonolência, fraqueza, ataxia, visão borrada, poliuria, confusão estupor, convulsões e coma.

LIPIDOGRAMA

Código: LIPI

Material: Soro

Sinônimo:

Volume: 2mL

Método: Colorimétrico Enzimático

Volume Lab.: 2mL

Rotina: Diária

Resultado: 1 dia

Temperatura: Refrigerado

Coleta: Jejum de 8-12 horas.

Código SUS: 

Código CBHPM: 

Interpretação: O exame é útil no diagnóstico das dislipidemias primárias e secundárias. As hiperlipidemias estão associadas a risco aumentado da doença coronariana e os valores do lipidograma devem ser considerados com outros fatores de risco de doença vascular (idade, fumo, hipertensão, diabete melito e história familiar de doença vascular precoce).

LIPIDEOS TOTAIS .

Código: LIP

Material: Soro

Sinônimo:

Volume: 2mL

Método: Espectofotométrico

Volume Lab.: 2mL

Rotina: Diária

Resultado: 1 dia

Temperatura: Refrigerado

Coleta: Jejum de 8-12 horas.

Código SUS: 

Código CBHPM: 

Interpretação: Este exame é inespecífico, pois é composto das frações: colesterol e suas frações livre e esterificado, triglicérides, fosfolípides e ácidos graxos livres.

 

LIPASE

Material: soro

Sinônimo:

Volume: 1.0 mL

Método: Enzimático

Volume Lab.: 1.0 mL

Rotina: Diária

Resultado: 4 dias

Temperatura: Refrigerado

Coleta: Jejum obrigatório. Coletar soro

Código SUS: 0202010554

Código CBHPM: 4.03.02.19-9

Interpretação:
Uso: diagnóstico de pancreatites.
A lipase tem sensibilidade e especificidade maior que a amilase para o diagnóstico de pancreatites (em parotidites não está aumentada). No líquido ascítico, a lipase pode apresentar níveis elevados em pancreatites em atividade.
Valores aumentados: pancreatites (permanece elevada mais tempo que a amilase em fase aguda de pancreatite), cistos ou pseudocistos pancreáticos, peritonites.

LEVEDURAS (PESQUISA)

Material: soro

Sinônimo: P.notatum,c.herbarum,a.fumigatus,a. tenuis

Volume: 1.0 mL

Método: Fluorescência Enzimática (FEIA)/Immunocap

Volume Lab.: 1.0 mL

Rotina: 2ª,4ª,6ª feira

Resultado: 24h

Temperatura: Refrigerado

Coleta: Jejum de 4h ou conforme orientação médica. Se o exame não for realizado no mesmo dia congelar a amostra.

Código SUS: 0202031039

Código CBHPM: 4.03.07.25-5

 

LEUCOGRAMA

Código: LEU

Material: Sangue Total com EDTA

Sinônimo:

Volume: Variável

Método: ABX Micros 60

Volume Lab.:

Rotina: Diária

Resultado: 1 dia

Temperatura: Refrigerado

Coleta: Coletar 5mL em tubo de EDTA. Jejum não necessário.

Código SUS: 

Código CBHPM: 

Interpretação: No leucograma, os leucócitos são contados em termos gerais, sendo classificados em uma contagem relativa em diferentes populações (neutrófilos, basófilos, eosinófilos, linfócitos, monócitos), segundo suas características citológicas.

 

LEUCOCITOS, PESQUISA NAS FEZES

Material: fezes

Sinônimo: piocitos

Volume: 5g

Método: Microscopia

Volume Lab.: 5g

Rotina: Diária

Resultado: 4 dias

Temperatura: Refrigerado

Coleta: Coletar fezes.

Código SUS: 0202040097

Código CBHPM: 4.03.03.09-8

Interpretação:
- Leucócitos não são encontrados normalmente no material fecal, razão pela qual sua presença indica processo infeccioso (invasão tissular) ou inflamatório do trato intestinal.
- Leucócitos fecais em número aumentado costumam ser indicativos da presença de E. coli invasora, Salmonella, Shigella, e Yersinia, assim como de amebíase, colite ulcerativa, colite associada a antibiótico,colite pseudomembranosa e doenças inflamatórias intestinais idiopáticas.
- Em algumas infecções bacterianas, infecções virais e giardíase, podemos não detectar presença de leucócitos nas fezes.

LDL – COLESTEROL

Material: soro

Sinônimo: LDL – Col

Volume: 1.0 mL

Método: Enzimático

Volume Lab.: 1.0 mL

Rotina: Diária

Resultado: 4 dias

Temperatura: Refrigerado

Coleta: Jejum obrigatório.

Código SUS: 0202010287

Código CBHPM: 4.03.01.59-1

Interpretação:
Uso: avaliação de dislipidemias; avaliação de risco para doença coronariana.
As lipoproteínas de baixa densidade (LDL – low density lipoproteins) são sintetizadas no fígado, sendo responsáveis pelo transporte do colesterol a partir do fígado para os tecidos periféricos.
Valores aumentados: risco de doença cardíaca coronariana, hipercolesterolemia familiar, hiperlipidemia familiar combinada, diabetes mellitus, hipotireoidismo, síndrome nefrótica, insuficiência renal crônica, dieta hiperlipídica, gravidez, mieloma múltiplo, porfiria, anorexia nervosa, uso de medicamentos (esteróides anabolizantes, beta-bloqueadores anti-hipertensivos, progestina, carbamazepina, entre outros).
Valores diminuídos: doença crônica, abetalipoproteinemia, uso de estrogênios.

LDH – DESIDROGENASE LATICA

Material: soro

Sinônimo: LDH, Dehidrogenase láctica

Volume: 1.0 mL

Método: Enzimático

Volume Lab.: 1.0 mL

Rotina: Diária

Resultado: 4 dias

Temperatura: Refrigerado

Coleta: Jejum não obrigatório. Hemólise pode interferir no resultado.

Código SUS: 0202010368

Código CBHPM: 4.03.01.72-9

Interpretação:
Valores aumentados: proliferação de células neoplásicas, infarto do miocárdio, anemias hemolíticas, anemias megaloblásticas, infarto pulmonar, choque e hipóxia intensos, doenças hepáticas (hepatite, alcoolismo).
Interferentes: hemólise +, lipemia -.