Diagnóstico laboratorial da doença celíaca

Diagnóstico laboratorial da doença celíaca

O que é doença celíaca?

A doença celíaca é uma reação imunológica ao glúten, proteína encontrada em cereais como trigo, centeio, cevada e aveia, em indivíduos geneticamente predispostos. É caracterizada pela inflamação crônica das vilosidades que revestem o intestino delgado, fazendo com que o corpo seja incapaz de absorver nutrientes de forma eficaz.

As manifestações clínicas variam desde pacientes assintomáticos até diarréia, perda de peso, dor e distensão abdominal, fadiga, ulceração oral, pequena estatura, puberdade tardia e artrites. A doença pode ocorrer tanto em crianças quanto em adultos e o único tratamento é a estrita adesão a uma dieta sem glúten.

O diagnóstico é feito através de critérios clínicos, histológicos (biópsia intestinal), sorológicos e moleculares.

Testes sorológicos

Os exames de sangue são muito utilizados na investigação e baseia-se na dosagem de anticorpos que o organismo produz contra o glúten. Os testes mais empregados são antigliadina, antiendomísio e antitransglutaminase tecidual. Esses anticorpos são detectados no soro da maioria dos celíacos não tratados e naqueles assintomáticos. Além disso, são úteis para o acompanhamento da doença, principalmente para avaliar a resposta dos pacientes a uma dieta sem glúten. Para esses exames é aconselhável jejum de 4 horas.   

Teste genético

O teste genético de intolerância ao glúten também é muito utilizado, já que a susceptibilidade para a doença está principalmente associada aos marcadores genéticos HLA-DQ2 e HLA-DQ8 que estão presentes na maioria dos pacientes celíacos. A ausência desses  marcadores praticamente  exclui o diagnóstico. Para esse exame não é necessário jejum ou cuidados especiais.

Não há um único teste para o diagnóstico, por isso, a necessidade da associação de dados clínicos e laboratoriais para confirmação de doença celíaca.

 

Leia também: Entenda a Hepatite B

Comentários